A Balada de Bob Dylan – Um retrato musical

Depois de um 2011 com lançamentos de ótimos livros dylanescos no país (a saber: um guia e uma biografia), a editora Zahar traz mais uma boa novidade literária ao mercado brasileiro.

“A Balada de Bob Dylan” foi escrita pelo poeta, biógrafo e dramaturgo Daniel Mark Epstein e, como Eduardo Bueno afirma na apresentação, vai além de um mero registro da vida e obra dylanesca:

“(…) essa balada é, ao mesmo tempo, mais e menos do que uma biografia: é uma reportagem autoral, um conto fidedigno, um ensaio biográfico, um longo poema em prosa; os gêneros se mesclam, se fundem e se completam de tal forma que, a certa altura, chegam a dar ao leitor a impressão de que o fazem com o propósito de forjar um novo modelo: um retrato literário, como o subtítulo sugere”.

O livro é trilhado através de quatro shows distintos em que Epstein foi testemunha ocular: 14 de dezembro de 1963 (um dia depois de Dylan ter “se comparado” ao assassino de Kennedy, Lee Oswald); 30 de janeiro de 1974 (show no Madison Square Garden, com The Band, que se tornaria o disco “Before The Flood”); 4 de agosto de 1997 (cinco semanas antes do lançamento de “Time Out of Mind” – álbum considerado “a volta por cima” de Dylan); e 24 de julho de 2009 (quando Bob excursionou com Willie Nelson e John Mellencamp).

A partir desses momentos distintos, Mark invade as entrelinhas não apenas das letras, mas também das inúmeras variações no arranjo das canções e expande a reflexão para montar um panorâma rico e poético de Bob e todo seu contexto.

Uma das coisas mais interessantes desta obra é que ela é efetivamente recente (nos EUA, foi lançado a apenas um ano atrás). Isso faz com que vários fatos atuais sejam analisados, como é o caso do Theme Time Radio Hour e do mais recente disco de inéditas de Dylan, Together Through Life.

Assim, como dito por Eduardo Bueno na apresentação e em algumas boas resenhas do livro na época do lançamento americano, “A Balada de Bob Dylan” se diferencia dos incontáveis livros anualmente lançados sobre Bob. É um retrato que vale a pena ser lido e absorvido.

A Balada de Bob Dylan – Um retrato musical

Autor: Daniel Mark Epstein
Tradução: Thiago Lins
Apresentação: Eduardo Bueno
524 páginas

Saraiva | Livraria Cultura | Fnac

6 thoughts on “A Balada de Bob Dylan – Um retrato musical

  1. Comprei ontem, tô ainda no primeiro capítulo e posso adiantar: é muito bom. Ele falando sobre o primeiro show que assistiu “Minhas expectativas eram altas e a experiência não foi inteiramente agradável. Seria preciso torná-lo um gosto adquirido, pensei, como fumar ou tomar uísque”. Nas 3 pgs onde ele disseca Boots Of Spanish Leather tive que ler e reler, um livro para se saboreado. A forma como ele contextualiza as músicas é algo, se for assim até o final é de tirar o fôlego.

    1. To na metade e tá muito bom. O autor consegue criar uma colcha de retalhos uniforme e mto agradável de se ler. Não é feito para quem quer conhecer a história de Dylan, mas quem já sabe o básico é certeza de uma leitura prazerosa!

      Abração!

  2. Yes there are a gazillion (quite literally) books about Bob Dylan out there in the ether and more on the way, but this book well it is something quite special. I would say this book and the Performing Artist series by Paul Williams are the ones to check out. Of course I mean by other authors because Chronicles Vol. 1 by the man himself is truly the place to start.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *