Bob Dylan do sertão

O jornal Estado de S. Paulo relançou a coleção Discoteca Estadão, com vários álbuns importantes da MPB. Neste fim-de-semana, série se encerra com o primeiro álbum solo de Zé Ramalho, de 1978.

O disco fez com que Zé Ramalho ganhasse o apelido de “Bob Dylan do sertão”, influenciado principalmente pelo jeito falado de cantar. Independente da alcunha ser justa, o álbum é interessante pelas ótimas letras e por utilizar diferentes estilos, como ritmos brasileiros (choro e baião) e guitarras psicodélicas.

Entre os músicos que participaram da gravação, está o guiarrista d’Os Mutantes Sérgio Dias, além do tecladista Patrick Moraz, da banda de rock progressivo Yes.

Em 2009, Zé Ramalho lançou o disco Ta tudo mudado, com versões em português de músicas do Bob Dylan. Muitas pessoas acharam as traduções de gosto duvidoso, mas é possível ouvir boas traduções, como O amanhã é distante, versão brasileira de Tomorrow is a long time.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=zBKl8q73duw]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *