[Vídeo] Unboxing “The Cutting Edge”!

O canal do Youtube do Bob Dylan postou dois vídeos com os detalhes das caixas Deluxe, com 6 CDs, e Collector’s Edition, com 18 CDs, vinis de 7 polegadas e mais um monte de coisa.

Olha só:

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=Bc0YDFyYZvU[/youtube]

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=2gB305OESUE[/youtube]

A Edição de Colecionador só está disponível no site do Bob Dylan, por “apenas” US$599,99.

As outras versões podem ser encontradas em lojas como a Amazon.

A evolução da campanha de marketing para Bootleg Series

002a68e7_medium

Bob Dylan sempre soube se aliar às pessoas mais estratégicas. Se o antigo empresário de Bob, Al Grossman, se mostrou um exímio negociador, sabendo explorar não só Dylan como intérprete, mas principalmente como compositor (e, assim, disseminando e valorizando a obra dylanesca mundo afora), Jeff Rosen se mostra tão habilidoso quanto.

Rosen é empresário de Bob Dylan desde 1989 e segundo Expecting Rain, trabalhou como consultor da Columbia Records. Ele também desempenha o trabalho de produtor, sendo o responsável pela caixa Biograph, de 1985, um dos primeiros “box sets” da indústria fonográfica. Desde a década de 90, Jeff conseguiu montar uma linha de produtos dylanescos paralelo à carreira de Bob: a Bootleg Series.

A institucionalização dos discos pirata

A Bootleg Series resolve, ou pelo menos ameniza, uma tendência que começou justamente com Bob Dylan. Foi em 1968 que o primeiro disco pirata da história do rock nasceu (Como disco pirata, refiro-me à registros inéditos e não à cópia não-oficial), com sobras de estúdio e alguns takes do que se tornaria The Basement Tapes (que pode ser considerado o álbum proto-Bootleg Series).

Após o sucesso de Biograph, Rosen achou um caminho relevante, principalmente para o perfil de Dylan: explorar os diferentes takes e abordagens de suas interpretações. O primeiro lançamento, de 1991, já chegou em três volumes e contemplava 30 anos de gravações (1961-1991).

Desde então, outros 10 volumes já foram idealizados (incluindo o que será lançando agora em 2015). Depois dos três primeiros, cada um priorizou uma fase cronológica, compilando sobras de estúdio, versões alternativas e registros ao vivo. São eles:

Volume 1-3: Rare & Unreleased
Volume 4: Live 1966
Volume 5: Live 1975
Volume 6: Live 1964
Volume 7: No Direction Home
Volume 8: Tell Tale Signs
Volume 9: The Witmark Demos
Volume 10: Another Self Portrait
Volume 11: The Basement Tapes
Volume 12: Cutting Edge

O mais interessante da série é como ela consegue criar uma realidade paralela. Ao se garimpar o passado dylanesco, toda uma história é revisitada e, em muitos casos, reescrita. Com essa atualização da arqueologia sonora, é possível tirar novas conclusões sobre os meandros da criação de sua época, bem como descobrir outros caminhos explorados por Dylan no meio de suas trilhas artísticas.

Versões, App e Vídeos

1035x690-Dylan_Bootleg-12_Deluxe-product-shot

Depois de algumas versões “padrões”, a equipe de Bob Dylan percebeu que poderia aprimorar os lançamentos. Nos volumes 10 (Another Self Portrait) e 11 (The Basement Tapes Complete), por exemplo, um aplicativo para iOS complementa os discos com vídeos, fotos e documentos diversos que detalham ainda mais a fase em foco. Em outros casos, versões completas e “best of” dão mais opções ao fã, sem contar as variações entre CD e vinil.

Para a décima segunda edição, a Bootleg Series é acompanhada de uma estratégia muito bem montada: divulgar amostras das faixas, vídeos, documentos e outras raridades com exclusividade para diversos canais de notícias. Assim, uma rádio tem em primeira mão uma faixa do disco; um site é presenteado com um entrevistas da época; uma revista recebe um mini-documentário sobre as capas de disco. E assim todos divulgam, cada um com sua exclusividade, o mesmo produto.

Vou tentar atualizar este post enquanto surgirem novidades, mas até o momento temos os seguintes links divulgados:

SpeakEasy: Bob Dylan Unearths Alternate ‘Sitting on a Barbed Wire Fence’

Rolling Stone: Go Behind the Scenes of Bob Dylan’s ‘Highway 61 Revisited’ Album Cover

The Daily Beast: Exclusive: Bob Dylan Like You’ve Never Heard Him

Consequence Of Sound: Bob Dylan shares unreleased version of “Subterranean Homesick Blues” — listen

Noisey: EXCLUSIVE: 1966 FOOTAGE OF OUTRAGED BOB DYLAN FANS AT HIS FIRST ELECTRIC SHOWS IN NORTHERN ENGLAND

Rolling Stone: Watch Bob Dylan’s Lyrics Evolve Take by Take in New Animation

Rolling Stone: See Dylan Photographer Explain Blurry ‘Blonde on Blonde’ Cover

 

 

‘The Cutting Edge’ takes you inside the studio during the recording of three of Bob’s most iconic albums: ‘Bringing It…

Posted by Bob Dylan on Quinta, 24 de setembro de 2015

Informações sobre “Bootleg Series Vol.12”

The Bootleg Series, Vol. 12 - The Cutting Edge 1965-1966
Versão Deluxe, divulgada pela Amazon UK.

O site Ultimate Classic Rock e a Amazon UK acabaram de confirmar os boatos do próximo volume da “série de sobras” sonoras de Bob Dylan: “The Bootleg Series Vol. 12 – The Cutting Edge 1965-1966”.

‘The Cutting Edge’ takes you inside the studio during the recording of three of Bob’s most iconic albums: ‘Bringing It…

Posted by Bob Dylan on Quinta, 24 de setembro de 2015

Com lançamento previsto para 6 de novembro de 2015, o décimo segundo título abordará o primeiro período elétrico da discografia de Bob Dylan, entre 1965 e 1966, quando ele lançou três álbuns emblemáticos: Bringing It All Back Home, Highway 61 Revisited e Blonde on Blonde.

1035x690-Dylan_Bootleg-12_Deluxe-product-shot
Edição limitada, com 18 CDs (e, pelo jeito, alguns vinis)

Entre as versões alternativas e sobras de estúdio, destacam-se: uma das primeiras tentativas elétricas, com “Mr. Tambourine Man”, meses antes da versão do grupo The Byrds; take com letra alternativa de “Visions Of Johanna”; e a sessão que resultou na icônica “Like a Rolling Stone”. Outro ponto relevante são sessões de gravação de Blonde On Blonde com os músicos que acompanhavam Bob na época – e que tornariam The Band – antes de Dylan mudar de ideia e ir para Nashville gravar com músicos locais.

The Cutting Edge será lançado em três versões: um resumão em um álbum duplo, uma versão de luxo de seis CDs e uma versão extendida com, prepare-se, DEZOITO CDs!

Lançamento, 6 de Novembro. Save the date e save the money, também!

Confira a relação das faixas:

DISCO DUPLO

6 CDs

18 CDs (pendente)

Update (24/09): Trechos de duas faixas

– Stuck Inside of Mobile with the Memphis Blues Again (Take 13, Alternate Take)

– It Takes a Lot to Laugh, It Takes a Train to Cry (Take 1, Complete (6/15/65))