Ao longo de sua carreira, Bob Dylan desenvolvou diversos timbres na sua voz e fraseados distintos. No começo, antes mesmo de gravar seu primeiro álbum, amigos dizem que sua voz era doce, similar ao que ele faria nos álbuns do final da década de 60 (Nashville Skyline e Self Portrait, dos anos 70, por exemplo).

Um desses estilos foi o que Dylan usou nos seus primeiros álbuns. Seu modo de cantar era mais estruturado na letra do que na melodia. A música servia quase como uma trilha sonora para o conteúdo que Bob queria passar.

Em uma ótima reportagem de 1985 do jornalista Bob Brown, Dylan explicou como desenvolveu seu fraseado. No bairro novaiorquino de Greenwich Village, os Cafes onde os músicos folks se apresentavam eram também visitados e utilizados por poetas beats. Eles recitavam poesia e havia uma atmosfera artística tão rica que a troca era inevitável (ou, como Bob descreveu na música Tangled Up in Blue, “a revolução estava no ar”).

Abaixo, veja a explicação de Dylan e o exemplo com a poesia de Lawrence Ferlinghetti (a partir do minuto 7:10).
Imagem de Amostra do You Tube

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Google+