Under the “Ray” sky

Além de Zé Ramalho, considerado por alguns o Bob Dylan do sertão, hoje seria o aniversário de 57 anos de Stevie Ray Vaughan. O guitarrista morreu no dia 26 de agosto de 1990 em um acidente de helicóptero, após tocar em um show ao lado de Eric Clapton e Robert Cray para cerca de 25 mil pessoas.

E foi no seu último ano em vida que seria lançado o álbum Under The Red Sky, de Bob Dylan. Stevie Ray Vaughan e seu irmão Jimmie tocaram guitarra nas canções: 10,000 Men, God Knows e Cat’s in the Well. Jimmie participaria também na música Handy Dandy.

O álbum foi produzido por Don Was e Jack Frost (um dos heterônimos de Bob Dylan). Don Was já havia produzido Carly Simon, o B52’s e Bonnie Raitt. O timbre do disco é mais limpo, jovial, como se Dylan quisesse se aproximar dos jovens. Além dos irmãos Vaughan, outros músicos famosos foram recrutados. Veja o nome de alguns e as músicas que participaram:

  • Al Kooper (autor do órgão de Like a Rolling Stone) – órgão em Under The Red Sky, Unbelievable, Handy Dandy;
  • David Crosby (The Byrds e Crosby, Still, Nash & Young) – Backing vocals em Born In Time, 2 x 2;
  • Elton John – Piano em 2 x 2;
  • George Harrison – Slide guitar em Under The Red Sky;
  • Paulinho da Costa (percussionista brasileiro) – Born in Time, 2 x 2, God Knows, Handy Dandy;
  • Randy Jackson (Gravou o clipe de Most of the Time e depois participaria do American Idol ) baixo em Wiggle Wiggle, Born in Time, T. V. Talkin’ Song, 2 x 2;
  • Robben Ford – guitarra em Born In Time, T. V. Talkin’ Song;
  • Slash (Guns’n’Roses) – Wiggle Wiggle

Curiosidade (ou fofoca): No encarte, há um agradecimento à Carole Childs, possivelmente sua namorada/amante e o álbum é dedicado à “Gabby Goo Goo”, também conhecida como Desiree Gabrielle Dennis-Dylan, filha de Dylan com sua então esposa Carolyn Dennis (Carolyn e Bob foram secretamente casados entre 1986 e 1992).

One thought on “Under the “Ray” sky

  1. Pedro, que coisa mais curiosa. Quando falei da loja e da aquisição do CD “Time Out Of Mind”, havia também um CD do Stevie Ray Vaughan, que comprei, uma espécie de coletânea-homenagem, muito bom. Lembro-me de ter gostado deveras do som. Estavam lá, os dois CDs, lado a lado.

    E aí amanheço e leio seu post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *