Bob Dylan faz discurso patriótico para Chrysler

Bob Dylan & Chrysler (2014)

Bob Dylan estrelou o comercial da Chrysler para o novo modelo 200 durante o intervalo do Super Bowl – famoso final do campeonato de futebol americano.

No vídeo, é possível ver Bob Dylan com cabelos castanhos (ao invés dos grisalhos que usava no ano passado), além de bastante maquiagem, ou photoshop, rejuvenescendo-o deixando-o meio esquisito.

Em sua fala, uma valorização da tradição americana e da tradição de construção de carros de Detroit, base da Chrysler. Ao fundo, trechos da música “Things Have Changed”.

Confira abaixo o vídeo e a tradução do discurso:
[youtube=https://www.youtube.com/watch?v=KlSn8Isv-3M]

Existe algo mais americano do que os Estados Unidos?
Porque você não consegue importar originalidade.
Você não pode fingir ver ser verdadeiramente cool.
Você não consegue duplicar legado.
Porque o que Detroit criou foi a primeira e tornou-se uma inspiração para o… resto do mundo.
Sim… Detroit fez carros. E carros fizeram os Estados Unidos.
Para fazer o melhor, para fazer o mais primoroso, é preciso convicção.
E você não consegue importar o coração e a alma de todos os homens e mulheres trabalhando na produçao.
Você pode procurar o mundo todo pelas coisas mais refinadas, mas você não vai encontrar um correspondente para as estradas americanas e as criaturas que vivem nelas.
Porque nós acreditamos na aceleração, no rugido e na impulsão.
E quando é feito aqui, é feito com a única coisa que você não consegue importar de nenhum outro lugar.
Orgulho americano.

Então deixe os alemães fermentarem sua cerveja, deixe os suíços fazerem seu relógio, deixe os asiáticos montarem seu celular.
Nós iremos construir o seu carro.

Veja aqui outros comerciais estrelados por Bob Dylan

2 thoughts on “Bob Dylan faz discurso patriótico para Chrysler

  1. Bob Dylan é, também, um filho do Tio Sam, como o próprio afirmou certa vez, e dizia que não ligava muito pra money. Liga, sim, e muito, e quanto mais velho fica, a coisa vai “melhorando”. Qual é o problema, visto de fora?
    E dizem que as propriedades dele, espalhadas pelos Estados Unidos e Europa, bem…
    Qual é o problema, gente? ou
    Qual é o problema, Bob? ou
    Qual é a solução, Bob?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *