Retrospectiva 2013 (Parte 1): A turnê dylanesca

Em 2013, Bob iniciou sua turnê no dia 5 de abril em Buffalo e terminou na última quinta-feira, 28 de novembro (véspera do feriado americano de Ação de Graças), em Londres.

Ao todo fez 82 shows (seu menor número desde 1993), distribuídos em três fases:

Bob Dylan & The Dawes

Um número limitado de cartazes como este são vendidos nos shows.

Nos primeiros shows do ano, Bob Dylan fez dois convites ao palco: o primeiro foi ao guitarrista Duke Robillard, que substistuiu Charlie Sexton (que por sua vez resolveu se unir a Jakob Dylan); o segundo foi aos jovens do grupo The Dawes, que abriu os 31 shows: inicialmente foram divulgados apenas 12 apresentações, mas a turnê se extendeu para mais 11 datas, terminando no dia 5 de maio.

Ouça e veja cenas dos dois primeiros shows.

AmericanaramA

Poster que comprei como lembrança.

Depois de um hiato de 51 dias, Bob e seu bando voltaram aos palcos no dia 26 de junho com o festival AmericanaramA, que tinha como bandas de abertura My Morning Jacket e Wilco, além dos convidados esporádicos Bob Weir, Richard Thompson Electric Trio e Ryan Bingham.

Tive o prazer de testemunhar três shows do AmericanaramA e fiz resenhas para as apresentações em Atlanta, Nashville e Memphis – este último com a participação de Charlie Sexton, que alternaria o posto surpreendentemente deixado por Duke com Colin Linden até o último show do festival, 4 de agosto.

Além das mudanças no posto guitarrístico da banda de Dylan, Bob convidou em alguns shows os vocalistas do Wilco e My Morning Jacket para cantar “The Weight”, dos seus ex-colegas The Band.

Leia: um balanço do AmericanaramA

Turnê européia

Royal Albert Hall

A partir do dia 10 de outubro, Bob Dylan iniciou sua excursão européia. Como novidade, um intervalo de 10 a 15 minutos no meio da apresentação e a inclusão de mais músicas do recente Tempest. O repertório esteve basicamente intacto entre os shows – com grande exceção nas duas apresentações em Roma, quando uma revolução no setlist ocorreu e Bob Dylan tocou diversas canções até então inéditas no ano.

Charlie Sexton reconquistou seu posto de guitarrista e tocou em todos os shows no Velho Continente.

Entre os destaques, está a volta de Bob Dylan ao Royal Albert Hall, mesmo local que, em 1966, foi hostilizado e chamado de Judas por optar pelo som elétrico e empunhar uma guitarra. No final do último show, inacreditavelmente, Bob Dylan se aproximou do público e comprimentou alguns felizardos:

Acervo completo

Optei por um panorama bem sucinto da turnê deste ano, mas quem quiser saber quase todos os detalhes dos shows que Dylan fez este ano, sugiro o blog “Bob-No-Live 2013”, aparentemente japonês. Nele, fotos, áudios e vídeos de quase todas as apresentações de 2013.

Abaixo, algumas fotos da turnê (todas tiradas do blog citado acima e a maioria de autoria do talentoso Paolo Brillo)

Suspense e surpresas nos primeiros shows europeus de 2013

Bob Dylan 2013 (Europa)

Se os shows da turnê AmericanaramA apresentaram uma constância incomum no repertório de Bob Dylan, os três primeiros shows mostraram que a tendência para as próximas apresentações está indo no sentido oposto.

Os três primeiros shows da turnê européia do ano, ocorridos em Oslo e dois em Estocolmo, tiveram boas surpresas… e um momento de suspense. Em Oslo, após tocar oito canções, Bob Dylan avisou que faria um breve intervalo. O hiato musical teve um lado positivo: o show agora está com cerca de três canções a mais do que nos concertos anteriores.

Outra boa notícia está nas escolhas das músicas. Não só Bob Dylan voltou a variar um pouco como incluiu boas surpresas. A primeira delas é “Long and Wasted Years”, uma das melhores músicas do álbum Tempest. A segunda é “Waiting For You”, canção que Dylan fez para o filme Divine Secrets of the Ya-Ya Sisterhood e havia tocado pela última vez apenas em 2009 (este foi a primeira música que Bob fez para um filme depois de ganhar o Oscar por “Things Have Changed”. Será que ele queria ter um casal de estatuetas?).

Abaixo, dois vídeos de “Long and Wasted Years”, um de “Waiting For You” e o áudio do primeiro show da turnê, em Oslo.

Oslo:

Estocolmo:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=0pncAB2DGW0]

Oslo (faltando as duas últimas canções):

Bob Dylan inicia última etapa da turnê de 2013

Bob Dylan (2013)

Depois de fazer 47 shows só em este ano (parte dela na companhia de Wilco, My Morning Jacket e outros convidados da AmericanaramA), Bob Dylan encara a última fase de sua turnê anual.

Bob Dylan e sua banda passarão pela Europa para fazer 35 shows entre 10 de outubro e 28 de novembro. Nesses 50 dias, o roteiro terá 18 cidades em 12 países e percorrerão mais de 10 mil quilômetros (para se ter uma ideia, do Oiapoque ao Chuí – extremo norte e sul do Brasil, a distância é de cerca de 5.500km).

Abaixo, um mapa com todas as cidades da turnê europeia de 2013.

Exibir mapa ampliado

Charlie ou Colin?

Charlie & Colin

Nos últimos shows de Bob Dylan, nos EUA, sua banda teve a escalação alterada, alternando Charlie Sexton (que subtituiu Duke Robillard) com o canadense Colin Linden. A provável razão dessa variação tenha sido os compromissos firmados por Charlie antes de ter que cobrir a saída de Duke.

Entre as bandas com que Charlie tocou está a Court Yard Hounds, que tem marcado dois shows em Austin, TX – justamente a cidade em que o guitarrista mora.

I replay the past

Repertório do show mais recente, em agosto.
Repertório do show mais recente, em agosto.

Outra dúvida está no repertório. Ao contrário do que Bob Dylan costumou fazer nas últimas décadas, os shows da turnê mais recente tiveram pouquíssimas mudanças nas escolhas das músicas.

Se no ano passado Bob Dylan utilizou 71 músicas para montar seus shows, este ano, até o momento, apenas 24 canções foram utilizadas para o repertório de cerca de 16 músicas.

Como sempre, o jeito é aguardar para ver o que Bob está disposto a oferecer, e a surpreender.